terça-feira, 17 de julho de 2007

| design | Usabilidade

Depois de conhecer o professor Robson Santos, fiquei um tempo fuçando o site dele. Lá eu pude baixar a tese de mestrado que ele defendeu em 2000, e que trata de Ergonomia e Usabilidade para sistemas de computador. Partes do resumo da dissertação seguem abaixo:

A usabilidade da interação homem-computador tem sido uma área de interesse crescente para os pesquisadores brasileiros. Entretanto, projetistas e desenvolvedores de sistemas informatizados pouco utilizam os parâmetros ergonômicos para projeto e testes de avaliação de usabilidade de interfaces. Esta pesquisa tem como objeto a usabilidade de interfaces gráficas computadorizadas, considerando sites de informações objetivas e sua adequação aos critérios ergonômicos. Sua finalidade é contribuir para a ergonomização do projeto de interfaces, e seu objetivo é consolidar o estabelecimento de critérios ergonômicos de avaliação e projeto de interfaces gráficas com usuários, e para a melhoria da usabilidade de web sites, contribuindo também para o estabelecimento de referências em língua portuguesa sobre este tema. (...) A hipótese que norteou esta pesquisa é que a desconsideração das recomendações ergonômicas no projeto de interfaces gráficas computadorizadas gera produtos deficientes no atingimento de suas metas de interação com o usuário.(...) Os resultados obtidos (...) mostram que os critérios ergonômicos de projeto devem ser aplicados dentro de um pensamento global que envolva todos os elementos que compõem um sistema de interação homemcomputador – o usuário, a tarefa e o ambiente – não de forma isolada, considerando somente a parte superficial da interface, mas sim de modo consistente, segundo os requisitos ergonômicos de qualidade.


Me interessei pelo assunto, e certamente vou ler com calma a dissertação.

Usabilidade é um termo que não encontrei no dicionário, mas achei de uma clareza incontestável. Significa a qualidade do que é útil, utilizável. Na tese está escrito que "Usabilidade pode ser compreendida como a capacidade, em termos funcionais humanos, de um sistema ser usado facilmente e com eficiência pelo usuário."

Maior ou menor usabilidade deve refletir em maior ou menor interação e entendimento do usuário com o sistema que ele está inserido, sendo esse sistema um site, um software ou a sua casa. É um cuidado que se deve ter com fluxos, indicações, movimentações que o usuário pode ter em um ambiente projetado. Ainda não havia tratado dessa preocupação como uma ciência, mas é interessante essa abordagem.



E nessas minhas andanças, lendo um pouquinho pela web acabei me batendo com um site sensacional: o dontclick.it .

O site, com um visual bacana, funcional, te convida a não clicar em nada. No sistema de uso, você apenas aponta pra onde quer ir, e ao longo do percurso ele vai te fazendo umas perguntas do tipo "você sente falta de clicar?". Lá mesmo estão as estatísticas. Tem também a história dos cliques, um módulo com experiências e outras coisinhas.

Aliás, o que levou o cara a fazer isso? Ele mesmo respondeu , na seção "The Story", e reproduzo uma parte da resposta aqui:



Basicamente, o que ele queria saber era nossa reação ao ficar sem essa ferramenta tão básica que é o clique, saber se essa mudança seria boa ou ruim. E, mais importante, a gente consegue resistir ao clique?

Alguns elementos que estão lá já podem ser aplicados, como o uso de gestos para definir ações do usuário ( no Firefox tem um bom plugin, o "gestures" ), mas um site inteiro sem nenhum clique ainda não havia encontrado. Os exemplos que ele dá da aplicabilidade do "Mundo sem Cliques" são sensacionais, e condizentes com essa nossa internet cada vez mais rápida. Obviamente, o site é inteiro em flash, mas tem uma aparência de ser bem leve.

Se isso não conseguir acabar com seu hábito de clicar, nada consegue.

De início, senti falta de clicar nas coisas e o dedo chegou a doer, além de eu ter ficado muito curioso pra saber o que aconteceria se eu clicasse. Mas com o tempo me acostumei, e gostei da idéia. Achei muito boa a forma de navegação, e a resposta aos movimentos. Viveria bem sem o clique...na internet, pelo menos.

Nenhum comentário: